Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Yoga na minha Vida

O Yoga ajuda a descobrir quem tu és... Tens coragem para saber a resposta?

Yoga na minha Vida

O Yoga ajuda a descobrir quem tu és... Tens coragem para saber a resposta?

3 pontos chaves para que o teu dia a dia seja mais tranquilo

Sábado estive numa mini palestra a falar para algumas pessoas sobre o Yoga na minha vida, como surgiu, e como me ajudou, e claro como se tornou na minha grande paixão!

 

Fui convidada a participar num evento onde iria falar um pouco sobre mim, sobre o Yoga e depois fazer uma aula de 30 minutos.

 

Confesso que não preparei nada, gosto de dizer na hora, o que fluir.

Claramente que tenho noção do que quero transmitir, mas não faço texto escrito, e nem iria levar cabulas comigo.

 

"Olá a todos, obrigada por estarem aqui! O meu nome é Susana, sou professora de Yoga para crianças e adultos, mas nem sempre foi assim! "

 

Este é o inicio depois disto tudo surge e vai-se desenrolando o novelo da minha historia sem ser maçadora, pelo menos assim tento! 

 

E durante o tempo em que falo da minha vida, de como tudo aconteceu, tento passar a mensagem de 3 pontos chave que para mim são essenciais:

 

1- A importância de parares no teu dia a dia e perceberes como te encontras.

 

Quando fiz a minha primeira aula de Yoga depois do divórcio, achei, (e talvez seja muito comum esta sensação) que a prática era parada demais para mim. A esta distancia percebo o porquê.

Parar implica sentires, e eu claramente que não queria sentir. Não queria ser confrontada com a minha dor.

Mas no meu íntimo sabia que era disso que precisava, tanto que na semana seguinte eu estava lá novamente para fazer a aula. 

Para renascer das cinzas tens de te envolver com a tua dor, tens de "morrer", fazer lutos e então por fim, nasceres de novo. Claro que estou a falar de algo que me aconteceu extremamente doloroso, e o Yoga não serve só para casos dolorosos, mas exatamente para não chegarmos a casos extremos.

Para, Sente, Silencia-te, Observa como te encontras. A prática de Yoga diz-te como está o teu corpo, a tua Mente, Tu!

 

2 - A importância da respiração - Respirar bem, para bem viver

 

Na minha primeira aula de Yoga fiquei a saber que há anos que andava a respirar mal.

Foi um choque porque nem sequer sabia respirar. Foi um esforço mental grande que tive de fazer para conseguir respirar da forma como o professor explicava.

E a respiração foi uma grande ajuda, uma ferramenta grátis e simples para ser desfrutada o mais possível no dia a dia. 

Eu sei, todos respiramos, caso contrário não estaríamos aqui. 

A questão é que respiramos de forma inata, já nasce connosco e não temos de pensar para respirar, mas falo-te da respiração consciente.

Respirar de forma consciente é a forma de estares aqui no Presente, e não tanto na Mente, não tanto no Ar, nos pensamentos, e estares mais físico, mais Terra. 

Por outro lado a respiração traz-te calma em momentos de aflição. Quando trabalhava na companhia de seguros e por estar já mais consciente, quando percebia que iria haver confrontos ou situações de stress, eu parava tudo o que estava a fazer e respirava consciente. Ouvia a minha respiração, e quando as coisas surgiam, o impacto já não era tão forte. E aquilo que a Mente projetou como um grande problema, quando ele acabava por chegar não tinha afinal essa dimensão toda.

 

3 - Tira um momento do teu dia para fazeres o que gostas

 

Escolhe uma atividade que gostes de fazer e não abdiques disso. 

É de ir ao ginásio que gostas e te ajuda a espairecer a mente? 

É o Yoga que te fascina? 

É o grupo de Meditação que frequentas semanalmente que te deixa mais tranquilo? 

É correres no paredão no final do dia? 

É Chi Kung que te deixa emponderado?

É pintar Mandalas, que te leva para o teu mundinho?

É costurar?

 

Tudo é válido e deves fazê-lo sempre!

Diariamente tira um pouco para ti, e dedica-te à atividade que gostas. Mesmo que por apenas 15 minutos! 

Se muitos de nós passamos horas do dia a fazer algo que não gostamos, os nossos deveres e obrigações, nos nossos trabalhos, se não há no teu dia um momento que te faça feliz, essa balança não está de todo equilibrada!

 

Ah. mas eu tenho filhos pequenos que precisam de mim.

Ok! Eu sei, também sou mãe e por vezes é difícil, mas raras excepções, podemos sempre deixá-los com o nosso companheiro, marido, avós, tios, etc, para poderes ter o teu momento. 

Muitas vezes é só a nossa mente que diz, "Não podes, és mãe!" 

Podes sim! 

Primeiro porque quando estamos bem connosco estaremos muito melhor para quem nos rodeia! E principalmente para as criaturazinhas pequeninas que andam lá por casa  :)

Depois estás a ensinar que é importante cuidarmos de nós! 

 

O que me interessa que a minha mãe me dedique todo o seu tempo e com o passar desse mesmo tempo, fique exausta, não pare um segundo, que passe o dia a trabalhar e quando finalmente chega a casa a paciência dela vai-se num ápice e os gritos surgem?

Falo-vos disto porque foi a minha realidade e quando tomei consciência disto, foi difícil, foi um choque, senti-me mal mas tive o meu momento de consciência e poderia fazer diferente a partir daí!

 

Aqui alonguei-me mais um pouco do que na palestra! :) 

Deixo-vos estes pontos que para mim e na minha vida fizeram toda a diferença!

 

Falar-vos-ei sempre da minha experiência, nunca do "ouvi falar que"... nada disso.

Tudo o que escrevi foi vivenciado na primeira pessoa, e passo-vos a mensagem porque talvez alguém se identifique e que sinta nas minhas palavras e experiências, o mote para fazer diferente! 

  

HAri Om!

Susana

  

27993619_2018000071856603_2046334052160313_o.jpg

 

 

 

1 comentário

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.