Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Yoga na minha Vida

O Yoga ajuda a descobrir quem tu és... Tens coragem para saber a resposta?

Yoga na minha Vida

O Yoga ajuda a descobrir quem tu és... Tens coragem para saber a resposta?

Meditar todos os dias?

E porque não?

Não comes todos os dias? Não dormes todos os dias? Não tens os teus afazeres diários?

Então porque não tiras tu cinco, dez minutos do teu tempo apenas para parar?

Ah não tenho tempo para isso... podes estar a pensar....Se não tens apenas 10 minutos num dia para ti, então questiona tudo!

 

Somos constantemente bombardeados por estímulos exteriores, seja a televisão, seja o telemóvel, sejam as conversas de café no trabalho, filhos para quem os tem, e torna-se absolutamente necessário parar um pouco todos estes estímulos e estarmos apenas connosco. 

 

Meditar não é parar de pensar, isso não existe. Meditar é simplesmente observar, observar como se encontra o corpo, a mente, o espírito, observar o que nos surge na mente, este é o convite da meditação. Através da meditação podem surgir no pensamento as respostas que procuras.

 

 

Meditar necessita de uma postura "especial"? 

DSC06396.jpg

De preferência adota a postura de meditação. Sentar no chão só tem vantagens, uma vez que a base da coluna está completamente assente no chão proporcionando mais enraizamento ao teu corpo. Sentar no chão ajuda à mobilidade das pernas que com o tempo se vai perdendo até ao dia em que chegam as bengalas e andarilhos.

Ao cruzares as pernas é uma forma de trancares os estímulos exteriores, e ficares mais atento a ti. Ao colocares as mãos em Chin Mudrá, (o polegar toca no indicador) estás a trazer mais concentração e consciência ao momento e dessa forma fechas o circuito de energia no teu corpo, a energia não se dissipa.

Quantas vezes não chegamos a casa sem energia nenhuma?

 

Precisamos de ter um local próprio para meditar?

Sim, é preferível escolher um cantinho para meditar. Um local que saibas que não vais ser interrompido, pode ser na sala ou no teu quarto. Isto porque quando temos um cantinho "especial", a mente já associa esse local ao sossego, a parar, ela já sabe o que vai acontecer a seguir e torna-se mais fácil sentar e meditar.

 

Há horas especificas para meditar?

Diria que é mais facil pela manhã! Eu gosto de meditar quando me levanto e estou cerca vinte minutos em meditação, mas às vezes nem sempre consigo fazê-lo quando acordo, então opto por fazer noutra altura do dia.

Meditar de manhã tem a vantagem do cérebro não estar tão ativo, e lá fora o "mundo" ainda está todo a acordar. Tudo está mais silencioso.

Também tenho alturas em que chego ao final do dia a casa e sinto a necessidade de parar e estar em silêncio e medito.

 

Mas eu sou... mãe ...?

Eu também! :)

Então, se sentes vontade de parar quando chegas a casa depois de um dia de trabalho, até porque notas que a paciência já não é muita, diz aos teu filhos que precisas de parar um pouco e que não queres ser interrompida durante cinco, dez minutos. Ou podes pedir ao teu companheiro/pai que olhe por eles nesse tempo se forem mais pequenos.

Acredita que ao fazeres isto apenas estás a trazer bem estar e harmonia para toda a casa, para ti e para os mais pequenos. Falo da minha experiência! 

Um dia quando eles forem mais crescidos até podes fazer meditação em conjunto! E desde pequenos eles vão aprendendo a parar!

 

É muito normal quando começas a meditar que isso traga desconforto. Porque sentar de pernas cruzadas e manter as costas direitas não é fácil mas acredita que com tempo isso passa, o corpo habitua-se e dás por ti a quereres fazê-lo diariamente!

 

Parar é essencial para trazer um pouco de mais tranquilidade para ti, para a tua vida. Com a tranquilidade obténs mais equilíbrio emocional e mental, e vais começando aos poucos a sentir diferenças em ti, na tua forma de estar, na tua forma de gerir o que surge no dia-a-dia.

Medita, nem que seja por apenas cinco minutos inicialmente e sente, observa o que acontece.

 

Boas meditações

Hari Om! 

Susana Fonseca

14124971_1792647324287232_6066034843065363770_o.jp

 

 

 

 

 

Quando a mudança bate à porta...

Já alguma vez sentiste que a mudança estava a bater à tua porta?

 

Bom confesso que a vida me tem vindo a convidar há muito a mudar. E talvez por isso ao divorciar-me o Yoga apareceu na minha vida. Desta vez a proposta que a vida tinha para mim era mudar a nível profissional. A mudança bateu-me à porta e com algum receio lá abri e entrei para um mundo desconhecido mas que me fascina imenso, o Yoga!

O Yoga mudou toda a minha estrutura, disso não tenho dúvida. Ele veio para descontruir coisas e conceitos que eu tinha e que estavam muito enraizados em mim. Muitos desses conceitos nem eram meus, mas sim da sociedade que nos impõe "verdades"  e acabamos por crescer com elas, assim como conceitos e pré-conceitos da nossa estrutura familiar. Veio dar-me também muita estabilidade emocional, bem-estar e tranquilidade, e podia enumerar tantas outras coisas! :)

 

A verdade é que o Yoga bateu-me à porta e eu abri! E a mudança aconteceu.

 

Há muito que a minha alma gritava que o meu lugar não era ali. Há muito que ia tendo indicações da vida que o meu caminho não era aquilo que eu estava a fazer.Trabalhei durante 15 anos numa companhia de seguros em Lisboa, e nunca me senti verdadeiramente realizada profissionalmente, talvez porque nunca ambicionei uma carreira, nunca tive esse interesse em mim, então era igual trabalhar ali ou noutro sitio qualquer a fazer outra coisa completamente diferente. Era mesmo apenas a necessidade de ganhar dinheiro ao final do mês.

A partir do momento em que tiro formação em Yoga para crianças em 2015 e  começo a dar aulas, esta voz, esta voz de mudança começou a ser mais audível, começou a ter mais poder e força. Porque de facto era quando dava aulas de Yoga que sentia o que nunca consegui sentir em 15 anos a trabalhar nos seguros, ser EU, de uma forma completa. Quando dava as aulas era como se eu saisse da minha dimensão corpo e fosse só Alma. Não era a Susana a mãe da Ines e do Afonso, ou a Susana a profissional de seguros, era apenas ALMA.

 

Tudo se complicou no bom sentido, ao iniciar a formação de Yoga para adultos foi como se a alma ainda gritasse mais e mais alto a pedir a tal mudança.

 

Durante este processo que durou uns bons meses e a sentir-me completamente empurrada em seguir este novo caminho que se estava a apresentar na minha vida, lembro-me que me surgiram duas imagens na minha mente nessa altura. Uma delas eu estava à beira de um precipício sabendo que se tivesse coragem de saltar conseguiria abrir asas e voar.

Outra imagem que tive foi ver-me dentro de uma gaiola com a porta aberta. Sabia que tinha medo do voo mas queria muito voar. A porta estava aberta. 

Acredito que estas imagens eram sinais que a minha alma me ia dando para que pudesse seguir o meu caminho. Eram de certa forma resposta às perguntas que fazia. Dependia de mim e só de mim essa decisão de VOAR.

Inicialmente pedi uma redução de horário para poder dar aulas à tarde nas escolas, mas o pedido foi colocando em stand-by e iria ser revisto apenas em 2017... Ora, feitas as contas... faltavam SÓ 7 meses... para ter uma resposta que poderia ser negativa. Aceitei, sabendo que se fosse para seguir em frente iria acontecer algo que me pudesse ajudar nesse sentido. Quando Tu tomas uma decisão o universo conspira a favor dessa tua decisão e as coisas começam a desenrolar-se, e tudo flui.

Como acredito que tudo tem um motivo e tudo o que nos acontece é sempre o melhor para nós (aprendi esta máxima com o meu divorcio!) e o universo claramente que tem melhores planos do que nós alguma vez imaginámos! Quatro meses depois chegou a oportunidade de sair da empresa. 

Com nervoso miudinho à mistura lá saltei do precipicio! E voei...

 

Como sei que foi o melhor que fiz? :) 

 

Pelo simples facto de não sentir qualquer conflito interno, por me sentir completamente tranquila e em paz, porque de repente se fez silêncio dentro do meu SER...

Hoje, 5 meses depois estou a dar aulas de Yoga para crianças em 3 escolas (tendo começando em Janeiro) e estou num espaço a dar aulas de Yoga para adultos. Acredito que no próximo ano letivo estarei em mais escolas para que mais crianças possam usufruir dos beneficios do Yoga, e concerteza que estarei em mais espaços com o Yoga para adultos! Porque EU Acredito nisso! Eu acredito em MIM!

 

Se seguires os teus sonhos corres o risco de os concretizares e um enorme risco de seres imensamente feliz! Não deixes nunca que o Medo da Mudança te roube os sonhos!

 

Deixei de ter subsídio de férias e subsidio de natal, é verdade, mas ganhei outras coisas como tempo e realização! Sou muito feliz a fazer o que mais gosto, a dar aulas de Yoga e isso não tem preço!

 

Já alguma vez sentiste que a mudança está a bater à porta?

FB_IMG_1496145340298-1.jpg

 

 Namastê 

Susana

Quem sou Eu?

O meu nome é Susana, tenho 40 anos, sou mãe de duas crianças muito criativas e sonhadoras e hoje digo com muito orgulho que sou professora de Yoga adultos e crianças, mas nem sempre assim foi! :)

Sou uma Aquariana apaixonada pelos processos da vida. Costumo dizer, a vida é um perfeito Puzzle. 

Aprendi a ver cada acontecimento como mais uma peça para ser colocada nesse tal Puzzle. A dado momento essa peça, o tal acontecimento, vai encaixar na perfeição, (não duvidem) nas outras peças que já lá estão (acontecimentos passados), nesse tal Grande Puzzle que é a Vida.

Já viste o quão maravilhoso isto é?

Sejam bem-vindos ao meu blog onde escrevo sobre o Yoga e sobre o Yoga na minha vida! 

Namastê!

 IMG_0025.JPG

 

 

 

 

 

 

 

 

 

*Foto tirada no National Museum India

Como surge o Yoga na minha vida?

Hoje olho para trás e tenho a consciência que o meu divórcio foi fator determinante nesta minha descoberta. Nessa altura, em 2010 agarrei-me a algo que não conhecia, sem imaginar que esta escolha mudaria para sempre toda a minha vida.

Todos nós num determinado momento da nossa vida, daqueles mesmo difíceis, agarramo-nos a algo que muitas vezes não conhecemos, nem sabemos explicar bem o porquê, mas é sempre algo que nos faz sentido no coração e nos faz bem. Eu quis experimentar o Yoga.

 

A minha primeira experiência com o Yoga deve ter sido igual a tantas outras… Fui experimentar e sai dessa aula com o sentimento de “parado demais para mim”. O que é facto é que na semana seguinte eu estava à mesma hora na mesma sala para ter mais uma aula de Yoga. Sem conseguir perceber bem porquê, (na altura) houve algo cá dentro que foi mais forte e levou-me a voltar.

 

A verdade é que pratiquei durante dois anos de forma regular e foi um dos melhores períodos da minha vida. Posso dizer que me sentia leve, tranquila, bem-disposta, posso mesmo afirmar que estava feliz, sem qualquer motivo aparente,  sentia-me mesmo bem, até ao dia em que tive de deixar de praticar.

 

Foi aí e só aí que percebi o quão bem me fazia a prática de Yoga...

 

DSC06423.JPG

 

 Namastê!

Susana